fbpx

Ecossistemas Digitais

Conheça melhor os Algoritmos do Google

Com certeza não será novidade para alguém que, no mundo cada vez mais digitalizado em que vivemos, a presença online se tornou essencial tanto para indivíduos como para empresas, que procuram destacar-se e prosperar no ambiente digital. Entre os inúmeros elementos que moldam essa presença digital, surgiram os motores de pesquisa e entre todos eles, o Google cresceu, desenvolveu-se e estabeleceu-se como figura incontornável para a indexação e apresentação de conteúdos relevantes aos utilizadores que todos os dias utilizam este motor de pesquisa para encontrar informação e/ou ajuda. É portanto incontornável que os algoritmos do Google desempenham um papel central e significativo na presença online de qualquer individualidade ou empresa. Os algoritmos Google, como o PageRank, o BERT, o Panda e outros, não só determinam a relevância e visibilidade de um conteúdo nos resultados de pesquisa, como também influenciam diretamente a experiência do utilizador e o sucesso de uma estratégia digital.

Hoje decidimos explorar um pouco mais os principais algoritmos do Google, a sua função e impacto na classificação de conteúdos online, e a importância de compreendê-los para construir uma presença digital eficaz e duradoura. Ao entender estes algoritmos e as suas nuances, podemos optimizar as nossas estratégias de marketing digital para aumentar a visibilidade online e alcançar os nossos objetivos de forma mais eficiente.

PAGERANK

O PageRank é um algoritmo fundamental do Google, que avalia a importância de uma página da web com base na quantidade e qualidade dos links que apontam para ela (referral links). Ele funciona atribuindo uma pontuação a cada página com base na quantidade e qualidade dos links recebidos. Quanto mais links de qualidade uma página recebe, maior é sua pontuação de PageRank e, consequentemente, a sua relevância nos resultados de pesquisa do Google. Isto ajudou a Google a estabelecer a relevância das páginas da web desde os seus primeiros dias na internet.

PANDA

O algoritmo Panda foi lançado em 2011 com o objetivo de melhorar a qualidade geral dos resultados de pesquisa, penalizando websites com conteúdo de baixa qualidade, duplicado ou spam. Ele avalia factores como a originalidade, a relevância e a utilidade do conteúdo, bem como a experiência do utilizador (UX). O Panda desempenha um papel crucial na manutenção da integridade dos resultados de pesquisa do Google, garantindo que os utilizadores encontrem informações valiosas e relevantes ao realizar uma pesquisa. Este “pandinha” é “quem” de facto decide se o seu conteúdo vai ficar atrás ou à frente dos seus concorrentes, nas SERP, por isso: uma estratégia de conteúdo bem planeada e focada no utilizador final, trará melhores frutos do que simplesmente seguir as tendências e seguir os exemplos de outros. Seja original e não tema o risco.

PENGUIN

Penguin: O algoritmo Penguin, lançado em 2012, visa melhorar a qualidade dos links que apontam para um website. O Penguin é muito perspicaz e penaliza práticas de construção de links manipuladoras, como a compra de links ou a participação em esquemas de link spam, e valoriza links naturais de qualidade. O Penguin desempenha um papel importante na garantia da integridade do ecossistema da web, incentivando práticas de SEO éticas e promovendo a criação de conteúdo valioso e relevante.

HUMMINGBIRD

Hummingbird: Lançado em 2013, o Hummingbird é um algoritmo que visa entender melhor a intenção por trás das pesquisas dos utilizadores. Ele toma em consideração o contexto e a semântica das pesquisas, além de considerar palavras-chave individuais. O Hummingbird permite que o Google ofereça resultados de pesquisa mais precisos e relevantes, mesmo para consultas complexas e inéditas, melhorando a experiência do utilizador e garantindo que os utilizadores encontrem as informações que procuram.

PIGEON

O “Pigeon”: lançado em 2014, o “Pombo” é um algoritmo de pesquisa local do Google. Ele foi projectado para melhorar a precisão e relevância dos resultados de pesquisa local, especialmente para consultas que têm um forte componente de localização geográfica. O objetivo principal do Pigeon era oferecer aos utilizadores resultados mais úteis e relevantes quando estivessem à procura de serviços ou empresas locais, ou mais próximos de si. Este algoritmo teve um impacto significativo nos resultados de pesquisa local, influenciando diretamente as posições dos negócios nos mapas do Google e nas listagens de resultados de pesquisa local. O Pigeon considera uma variedade de fatores, incluindo a proximidade física do utilizador ao negócio, a precisão e consistência das informações de listagem online (como nome, endereço e número de telefone), e a autoridade do site.

Para os profissionais de marketing digital e proprietários de empresas locais, entender o Pigeon é crucial para optimizar a presença online e garantir uma posição vantajosa nos resultados de pesquisa local. Para isso, devemos optimizar o perfil do “Google My Business”, garantir a consistência das informações de negócios em todos os diretórios online e investir em estratégias de SEO local para aumentar a visibilidade nos resultados de pesquisa relevantes para a localização geográfica pretendida.

MOBILEGEDDON

Embora não seja, concretamente, um algoritmo específico do Google (ou outro motor de pesquisa), este termo é incontornável quando falamos em optimização para motores de pesquisa (SEO). Este foi o termo popularizado pela comunidade de marketing digital em 2015 para descrever uma actualização significativa dos algoritmos de pesquisa do Google. E que actualização foi essa? Mobile First. Pela primeira vez na história do digital, um motor de pesquisa colocou o foco na mobilidade, dando prioridade aos websites que ofereciam uma experiência de utilizador e navegação optimizada para dispositivos móveis. Esta prioridade de resultados começou por ser implementada nas pesquisas em dispositivos mobile tendo mais tarde, e com naturalidade, sido adoptada como standard em todos os resultados de pesquisa do Google.

Esta atualização foi anunciada com grande antecedência, por parte do Google, alertando os proprietários de websites sobre a importância de ter websites compatíveis com dispositivos móveis para manter ou melhorar os seus rankings nos resultados de pesquisa móvel. Com o crescente número de utilizadores a utilizar a internet por meio de dispositivos móveis, o Google procurava com isto melhorar a experiência do utilizador para esses utilizadores.

Os websites que não eram responsivos ou mobile-friendly viram uma redução nos seus rankings nos resultados de pesquisa móvel, enquanto aqueles que ofereciam uma experiência otimizada para dispositivos móveis foram recompensados com melhor posicionamento nesses resultados de pesquisa.

O Mobilegeddon foi um lembrete claro sobre a importância de ter um website responsivo e adaptável para dispositivos móveis, não apenas para a experiência do utilizador, mas também para o sucesso nos rankings de busca, especialmente num cenário em que o tráfego móvel continuava a crescer rapidamente. Desde então, o Google continuou a dar prioridade à experiência do utilizador mobile nas suas atualizações de algoritmo, destacando a importância contínua dos websites mobile-friendly.

RANKBRAIN

Introduzido em 2015, o RankBrain é um componente do algoritmo de busca do Google que utiliza a inteligência artificial para entender melhor as questões de pesquisa dos utilizadores. Ele interpreta o significado por trás das questões complexas e inéditas, e fornece os resultados mais relevantes. O RankBrain analisa o contexto das questões colocadas e a intenção dos utilizadores para oferecer resultados de pesquisa mais precisos e úteis, melhorando constantemente a capacidade do Google em dar resposta às necessidades de pesquisa dos seus utilizadores.

BERT

O Bidirectional Encoder Representations from Transformers (BERT) é um modelo baseado em redes neurais que revolucionou a compreensão do Google sobre o contexto das palavras numa frase. Lançado em 2019, o BERT permite uma compreensão mais precisa das nuances da linguagem natural, ajudando o Google a entender o significado das questões de pesquisa dos utilizadores. Ele considera o contexto das palavras na relação de umas com as outras, melhorando a precisão dos resultados de busca e garantindo que as páginas relevantes sejam exibidas mesmo para questões mais complexas.

Agora que conhece os principais algoritmos do Google, e o que faz cada um deles, não se esqueça que, várias vezes por ano, o Google efetua alterações e atualizações ao core dos seus algoritmos, tornando-os mais eficientes nas respostas que o motor de pesquisa dá aos utilizadores e mais exigentes no que respeita aos proprietários e gestores de websites. Pode acompanhar o lançamento destas atualizações através do portal oficial do Google para estas questões.

 

Continue a ler...

QUER SABER QUAL O SEU INVESTIMENTO?

Claro que compreendemos. É necessário saber qual o investimento necessário, para tudo isto acontecer. Responda a umas simples questões e receberá rapidamente uma estimativa do investimento necessário.
Garantimos que será menos do que espera!